Do azulejo manual ao azulejo industrial: a presença da padronagem portuguesa tradicional na produção da Fábrica do Carvalhinho

Rosário Salema de Carvalho, Francisco Queiroz, Alexandre Pais, Ana Almeida, Inês Aguiar, Isabel Pires, Lúcia Marinho, Patrícia Nóbrega

Resumo


Resumo: Tomando como ponto de partida um catálogo de azulejos de padrão da Fábrica do Carvalhinho, publicado no segundo quartel do século XX, e inspirado na azulejaria dosséculos XVII e XVIII, o presente artigo pretende comparar os desenhos dos padrões industriais com os originais que lhes serviram de fonte de inspiração. Para tal recorre ao projeto em curso “Catalogação de padrões da azulejaria portuguesa”, acessível em linha através do AzInfinitum – Sistema de Referência e Indexação de Azulejo. A análise do catálogo permite ainda abordar questões relacionadas com opções de inventário ecatalogação, assim como a relação entre estas publicações, de cariz comercial e de divulgação, e a aplicação efetiva dos azulejos, tendo sido escolhido, como caso de estudo, as fachadas azulejadas do concelho de Ovar. O artigo termina com uma reflexão sobre a questão dos revivalismos no azulejo e, em particular, no azulejo de padrão. Abstract: The starting point to this paper was a catalogue published by the Carvalhinho factory, inthe second quarter of the 20th century, displaying patterned tilesinspired on Portuguese tiles from the 17th and 18th centuries. The paper aims to compare the industrial patterned drawings with the originals, which inspired them. To achieve this purpose, the authors utilized the ongoing project “Cataloguing Portuguesepatterned tiles”, available online through the Az Infinitum – Azulejo Indexation and Reference System. The study of the factory’s catalogue gave the authors the possibility to discuss questions linked with the inventory andcataloguing options, as well as the relation between these commercial publications, its dissemination, and the tiles’ application in buildings. Ovar was the county selected as a case-study. The paper ends with a reflexion about the revivals in tiles, and, particularly, revivals in patterned tiles.

Palavras-chave


Azulejo; Azulejo de padrão; Revivalismo; Fábrica do Carvalhinho

Referências


AMORIM, Sandra Araújo – Azulejaria de fachada na Póvoa de Varzim: 1850-1950. S/l: s/n, 1996.

Catálogo de Azulejos. Estilo Séculos XVII e XVIII. Fábrica Cerâmica do Carvalhinho, limitada. Arco do Prado, Vila Nova de Gaia, Portugal. Vila Nova de Gaia: Litografia União, s.d.

Catálogo de Desenhos para Azulejos e Faixas. Fábrica Cerâmica de Sacavém. s.d

Catálogo da Fábrica Cerâmica e de Fundição das Devezas. 1910.

Catálogo da Fábrica Cerâmica Viúva Lamego. Lisboa: s.d..

Catálogo da Fábrica Aleluia. Aveiro: s.d.

DOMINGUES, Ana Margarida Portela - A ornamentação cerâmica na arquitectura do Romantismo em Portugal. Porto: 2009. Dissertação de Doutoramento em História da Arte apresentada à Universidade do Porto.

----------. - Influência de modelos internacionais na azulejaria portuguesa de finais do século XIX. In MENDONÇA, Isabel Mayer Godinho et. Al. (coord.) - Iconografia e Fontes de Inspiração. Imagem e Memória da Gravura Europeia. Actas do III Colóquio de Artes Decorativas. Lisboa: Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva, 2011 (editado em CD).

Fábrica Cerâmica do Carvalhinho (Corticeira), Porto. Catálogo de azulejos e faianças de phantasia. A. N. Dias de Freitas & F.º. S.l.: s.n., s.d. [c. 1903-1910].

FRANCO, Cláudia Emanuel. VIEIRA, Eduarda – A obra azulejar de Jorge Rey Colaço. Contextualização e Estado da Arte. In Actas do Congresso Internacional Azulejar. Aveiro, 2012 (editado em formato eletrónico off-line).

GIRÃO, Luís Ferreira – Estudo sobre a indústria cerâmica na 1ª circunscrição dos serviços técnicos da indústria. Boletim do Trabalho Industrial. 67 (1913), pp. 21-22.

LEÃO, Manuel – Uma família de Ceramistas – Nunes da Cunha. Boletim da Associação Cultural Amigos de Gaia. 56 (2003), pp. 14-19.

----------. – A cerâmica em Vila Nova de Gaia. Vila Nova de Gaia: Fundação Manuel Leão, 1999.

LEPIERRE, Charles - Estudo Chimico e Technologico sobre Ceramica Portugueza Moderna. Lisboa: Imprensa Nacional, 1899.

MARTINS, Fausto Sanches – Subsídios para a história da Fábrica de Cerâmica do Carvalhinho. Revista Gaya. Vol. II (1984), pp. 447-468.

Memórias e Arquivos da Fábrica de Louça de Sacavém. In http://mfls.blogs.sapo.pt/193211.html (2013.02.27).

Memórias e Arquivos da Fábrica de Louça de Sacavém. In http://mfls.blogs.sapo.pt/tag/fábrica+do+carvalhinho (2013.02.27).

PEREIRA, Hugo Silveira – A acção social, desportiva e cultural da Fábrica do Carvalhinho. Boletim da Associação Cultural Amigos de Gaia. 69 (2009), pp. 12-26.

PINTO, Augusto Cardoso – Introdução. In Catálogo da Exposição de Cerâmica Ulissiponense: dos fins do século XVI aos princípios do século XIX. Lisboa: Câmara Municipal, 1936.

QUEIROZ, Francisco – O ensino das artes industriais no Porto do século XIX. O Tripeiro. 7ª série, ano XVIII, 5 (Maio de 1999), pp. 140-144; 6 (Junho de 1999), pp. 177-182.

QUEIRÓS, José - Cerâmica Portuguesa e Outros Estudos. Organização, Apresentação, Notas e Adenda Iconográfica à edição de 1907 por José Manuel Garcia e Orlando da Rocha Pinto. Lisboa: Editorial Presença, 2002.

SOEIRO, Teresa, et al. – Roteiro das Fábricas de Cerâmica Portuense. In Museu Nacional Soares dos Reis - Itinerário da Faiança de Porto e Gaia. Lisboa: Instituto Português de Museus, 2001, pp. 55-115.

SOUTO, Maria Helena – 1901-1920 Permanências e Modernidades na Azulejaria Portuguesa. In O Azulejo em Portugal no Século XX. Lisboa: Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses / Edições Inapa, 2000, pp. 15-25.

VASCONCELOS, Joaquim de - Cerâmica portugueza. Revista da Sociedade de Instrução do Porto. Vol. II (1882).

----------. - Cerâmica portugueza. Revista da Sociedade de Instrução do Porto. Vol. III (1884).

VILA, Romero – A Fábrica Cerâmica do Carvalhinho (sua história e seu fabrico). Boletim da Associação Cultural Amigos de Gaia. 8 (1980), pp. 17-23.

----------. – Vila Nova de Gaia – centro de azulejaria. Boletim da Associação Cultural Amigos de Gaia. 21 (1986), pp. 21-24.

----------. – O Fabrico do Azulejo em Fábricas de Gaia. Boletim da Associação Cultural Amigos de Gaia. 22 (1987), pp. 35-39.


Texto Completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

ISSN 2183-0703. Revista do Instituto de História da Arte - Centro de Investigação. Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa